Utopia


O mês de maio é tradicionalmente conhecido como o mês das noivas... Não foi planejado, mas meu marido e eu ficamos noivos em um já distante mês de maio. A formalização de nosso noivado foi a coisa mais simples do mundo. Apenas os meus pais e nós... Divirto-me com essa história de firmar um compromisso... Que história de compromisso é essa? Compromisso parece coisa forçada, onde a pessoa deixa de fazer o que tem vontade por causa de um "compromisso" com o outro. Namoro, noivado e casamento são em minha concepção, a experiência do desenvolvimento da capacidade de se sentir livre estando junto. Amor não aprisiona... Amor faz com que o vôo se torne mais prazeroso, pois o outro nos faz ver coisas que passariam despercebidas se estivéssemos sozinhos... (me lembrei agora de uma cena maravilhosa do filme "Rio", um lindo vôo das araras apaixonadas...).
Voltando ao mês de maio... Fico imaginando que é ele o mês onde muita gente, diante de um sacerdote, faz juras de amor eterno e criação de uma família... O tempo passa e as coisas mudam. O sonho acaba em função da descoberta de que a escolha não foi acertada ou a decisão pela vida a dois foi precipitada...
Muitos pensam que a felicidade no casamento é utopia. Se for, quero permanecer vivendo de maneira utópica.

Utopia   (Pe Zezinho)

Das muitas coisas
Do meu tempo de criança
Guardo vivo na lembrança
O aconchego de meu lar
No fim da tarde
Quando tudo se aquietava
A família se ajuntava
Lá no alpendre a conversar
Meus pais não tinham
Nem escola e nem dinheiro
Todo dia o ano inteiro
Trabalhavam sem parar
Faltava tudo
Mas a gente nem ligava
O importante não faltava
Seu sorriso, seu olhar
Eu tantas vezes
Vi meu pai chegar cansado
Mas aquilo era sagrado
Um por um ele afagava
E perguntava
Quem fizera estripulia
E mamãe nos defendia
E tudo aos poucos se ajeitava
O sol se punha
A viola alguém trazia
Todo mundo então pedia
Ver papai cantar pra gente
Desafinado
Meio rouco e voz cansada
Ele cantava mil toadas
Seu olhar no sol poente
Correu o tempo
E eu vejo a maravilha
De se ter uma família
Enquanto muitos não a têm
Agora falam
Do desquite ou do divórcio
O amor virou consórcio
Compromisso de ninguém
Há tantos filhos
Que bem mais do que um palácio
Gostariam de um abraço
E do carinho entre seus pais
Se os pais amassem
O divórcio não viria
Chame a isso de utopia
Eu a isso chamo paz.

13 comentários:

Rô... postou o comentário número:

oi Re,

também acredito e quero viver dessa maneira
cada dia mais utópica...
aliás adoro...

beijinhos com saudades

Ana de Geo postou o comentário número:

Oi, Guidinha!
Esse hino do Padre Zezinho é tudo de bom, quando eu era criança escutava e sonhava em casar com um homem muito bom e que me protegesse, me amasse e tudo mais que se espera de um marido... resultado: casei com um infeliz que se fez de santo até o dia do casamento. Pra vc ter idéia, o cara andava com o terço no bolso, todo problema resolvia com oração (agora eu sei que é verdade que nem todo aquele que diz Senhor Senhor herdará o reino dos céus). Pois bem, meus anos de casada com ele foram os mais humilhantes que uma mulher pode ter: era espancada, ele se arrependia, chorava, pedia perdão, eu perdoava, ele fazia de novo (acho que ele é doente ou então muito ruim mesmo) e assim foram 5 anos, não me deixava estudar nem trabalhar, e ele mesmo não gostava muito de trabalho, a gente vivia de ajuda dos familiares... aff pra que lembrar disso agora? Sei lá, não dói mais, por isso eu falo. Bem, quando nos divorciamos eu fiquei arrasada, só me mantive viva pelas minhas filhas. Mas depois de um certo tempo eu descobri que podia amar de novo e o melhor: descobri que aquele homem que eu idealizei quando era menina existia! Namoramos, casamos, hoje eu sou a mulher mais feliz do mundo no que diz respeito a casamentos! hehehe
Digo ao meu amigo Sérgio Brito que além de Geo ser tudo de bom ele veio numa embalagem perfeita, pq ele é lindo! hehehe
E todos viveram felizes para sempre!

Angela postou o comentário número:

Olá Renata, eu também fiquei noiva em um mês de maio!!! Namorar, noivar e casar é um ciclo maravilhoso!!Beijos e um ótimo dia!

Lúcia Bezerra de Paiva postou o comentário número:

Guidinha, estou pondo "em dia" minhas visitas. Aconete que, a menina Guidinha, está produzindo muito, aí eu resistio, leio e comento, claro!
Tive um longo noivado, mas aí o noivo "surtou", mesmo...e acabou. Depois veio um que foi "record":namoro, noivado e casamento em meio ano. Está vivo, há 30 anos.A decisão,em cassar logo, foi num mês de maio, o casamento foi em junho, próximo dia 28 serão 31 anos de bom viver.

Adorei, seu comentário, hoje, na Cadeirinha de Arruar. Por "acaso", vc já ouviu falar no Maestro Alberto Nepomuceno?...se já, quero dizer-lhe que êle faz parte da saga da Família Paiva. Era primo de meu pai e sobrinho do autor de "Dona Guidinha do Poço", Manuel de Oliveira Paiva.
Esses dois, além do Sr José Joaquim, meu amado pai, são protagonistas da saga da minha família.
Beijinhos, amiga, obrigada pelo carinho...

Leninha postou o comentário número:

Renata querida,também me casei no mês de maio e sonhava,desde criança com um lar povoado por muitos filhos(até fiz,na terceira série,uma "composição"com o título:O MEU IDEAL,em que falava sobre isso).Só que a realidade não foi bem esta e não aconteceu o "foram felizes para sempre".Os filhos vieram,três,e são a parte boa da história,aliás muito boa porque são uma BENÇÃO de Deus em minha vida.Achei lindo o poema do Pe Zézinho,mas no meu caso,é mesmo uma utopia.
Beijos e que Deus a faça cada vez mais feliz.Uma linda noite para você,apesar do frio,
Leninha

Biula postou o comentário número:

Padre Zezinho é um sábio!

Parabéns pelo noivado, acho tão linda essa palavra, romântica...
Nós ficamos noivos em 31 de dezembro, rs, como um novo começo, isso há 500 anos, é claro.

Beijo,

Vera Lúcia Duarte postou o comentário número:

Adorei a "Utopia" de Pe Zezinho.
Gostei muito também de sua frase "amor faz com que o vôo se torne mais prazeroso..."
Nada mais verdadeiro.
Beijo.

janeladesonho.blogspot postou o comentário número:

Que post lindo !!!!
Também sou uma crente nessa utopia ,
o problema é que muitos relacionamentos são artificiais , e tomam desições no auge da paixão , e paixão , é uma febre maravilhosa mais que passa , o amor é eterno , parabéns que Deus derramen bençãos de muito amor , r carinho , bjimm iluminado

Leninha postou o comentário número:

Oi querida Renata!Cheguei da rua agora e corri prá ver os blogs.Várias pessoas estão reclamando que não conseguem comentar no meu blog,no seu também está acontecendo isto?
Quanto ao assunto anjos,
eu coroei muitas vezes em Manhumirim,depois em Pouso Alegre e em Ponte Nova não cheguei nem a me vestir de anjo,tinha nove anos,já era uma"mocinha".
Concordo com você,meus filhos foram e são presentes de Deus prá mim e isto é o que realmente importa.Bjsssss,Leninha

Kika De Pauli postou o comentário número:

Oi Renata,
O amor é uma utopia essencial para a vida... Obrigada pelas visitas em meu cantinho e principalmente por todo seu carinho.
Bjos

http://praticaecriativa.blogspot.com

LaReK postou o comentário número:

Que lindo, Renata! É isso aí, viva a utopia!!!

Casinha de Açúcar postou o comentário número:

Re, amo essa música... tão serena...tão paz... tão família...

Grande Beijo e bom final de semana...

Juliana

Favo de Mel postou o comentário número:

Um maravilha passei para deixar um beijo, passa lá no blog pega o meu 1º selinho vou ficar feliz. Na postagem do dia 28 de maio.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...