Sessão nostalgia?


Estávamos agora a pouco conversando em família e não sei como consegui resgatar no fundo do baú, lembranças de um tempo que me parece, pelo menos tecnologicamente distante quase que anos luz...

Lembrei-me do meu curso ginasial. As aulas de Artes Industriais e Técnicas Comerciais... Isso em um tempo que pensava estar usando uma tecnologia de ponta. Só rindo mesmo. Devia ser ponta de estoque... Hoje percebo isso.
Aprendi todos os recursos de tipografia. Encadernava com maestria exemplares de tudo que me chegasse às mãos. Naquela época era comum colecionar fascículos, comprados em bancas de revistas, que depois quando a capa finalmente chegava, era só encadernar. Eu ficava toda cheia de mim, pois não precisava de nenhum encadernador. Com a habilidade adquirida nas tais aulas, me encarregava de fazê-lo. Bom, isso ainda tenho a capacidade de fazer e uma vez ou outra, restauro algum livro mais especial.
Só não sei o que fazer com o meu conhecimento da caixa tipográfica e afins...
Vendo o espanto de minha filha mais nova, diante das explicações que eu dava, sobre como a coisa funcionava, comecei a me sentir aluna de Gutenberg. Terá sido ele um dos meus mestres e eu não estou me lembrando?
Era chiquérrimo fazer cartões de visita. Ainda não consigo saber até hoje a utilidade deles para a época, já que tínhamos minhas amigas e eu, mais ou menos 11 ou 12 anos...  Uma de minhas primas fez o próprio convite de seu casamento naquela gráfica do nosso colégio... Êta, tempo distante...

Foi tudo fantástico de ter sido vivido, mas parece que entrei em uma máquina do tempo e saí aqui... Estou tentando correr e acompanhar o mundo, embora me sinta fazendo o Mobral ou como sou apaixonada pelo radinho de pilha, o Projeto Minerva, enquanto outros estão com os seus doutorados em tecnologia...

Tenham paciência comigo. Nasci em um mundo distante, aonde Nacional Kid vinha salvar a Terra de Gigantes, o Capitão Furacão procurava saber o que A Pequena Órfã estava fazendo na Vila Sésamo, Huguinho, Zezinho e Luisinho estavam para nascer, Tio Patinhas começava a sua coleção de moedinhas. Acho que a primeira ele ganhou naquela época do Sheik de Agadir que achava ser possível controlar o Direito de Nascer  do Topo Gigio. Esse por sua vez, amigão da Dini e da Samantha . É gente, sei que a maioria nem sabe de que estou falando, mas minha infância foi muito bem vivida, brincando de pique bandeira em uma rua que não era calçada, promovendo com a galera os nossos próprios Festivais da Canção, Desfiles de Miss em trajes típicos, tomando banho na caixa d'água de vizinho...  Tudo isso está muito distante e não sou saudosista... Gosto mesmo é de saber que foi muito bom trazer no coração essas lembranças e as novas vivências, pois elas me ajudam a ser o que sou hoje. Alguém agradecida a Deus por esse maravilhoso dom da vida!





O mundo segue, mas não vou jogar fora as histórias dos Disquinhos, minha Susi e tantas outras. Se fizer isso, vou me desfazer de parte de mim. Quero seguir à diante me lançando inteira nessa caminhada, mesmo que ainda no antigo e possante Gordini de papai...


Será que tem alguém aí, também jurássico que consegue saber do que estou falando?
Depois desse post, tenho que escrever minha cartinha para o Papai Noel. Voltei tanto no tempo que acho não ser difícil encontrar com ele por esses caminhos que tomei...

16 comentários:

Vera Lúcia Duarte postou o comentário número:

OLÁ RENATA,
Adorei seu post. De repente me vi desfilando com as coleguinhas, em palcos improvisados, onde as mães eram as juízas e se preocupavam em eleger todas para misses. Cada uma com uma denominação (beleza, simpatia, elegância, etc.). Também já joguei bola de gude na rua. E, por aí vai, lembranças e mais lembranças, que fazem parte da história de nossas vidas.
Beijos.

LaReK postou o comentário número:

Embora as nossas infâncias e adolescencia tenham sido em épocas diferentes, temos algo em comum: eu também tive uma Susi!

Ótimo post, queri. Beijos!

Nile e Richard postou o comentário número:

Oi Renata.
Que tempo bom..
Tivemos muitas e muitas brincadeiras com as amiguinhas.
Que bom que fez curso de tipografia,mesmo que seu mestre tenha sido Gutenberg,os conhecimentos ainda estão valendo.
bjtos.Nile.

Brechó Recicle Online postou o comentário número:

Bom dia querida!

Eu tive uma Susi de cabelo verde...Hahha... Até hoje adoro cabelos coloridos! Não fiquei com nenhuma bonequinha...Sniff...Já pratico o desapego faz anos, mas a lindinha de cabelos verdes eu queria ter comigo,viu?

BJ

Leninha postou o comentário número:

Renata querida,com vinte anos de diferença,as nossas experiências coincidem em algumas coisas,pois,como você,também brinquei em ruas sem
calçamento,de pique,de roda,de passar anel(esta é
mais do meu tempo que do seu)de bolebas(bola de gude,em mineirês.Os cursos,minha irmã que tem a sua idade foi quem fez e tem a maior saudade...ela estudou no antigo Premem,era tempo integral e aprendeu Artes Industriais,Horticultura e mais outros que me fogem à memória.Meus filhos viam todos os filmes que você citou e eu,deslumbrada com a TV,também via e mais A feiticeira,Kojak,A Gata e o Rato e outros mais.
Bem,vou parar por aqui,pois já é assunto para uma postagem que farei qualquer dia destes.
Bjsssssss,Leninha

casa de professora postou o comentário número:

OI AMIGA COMPANHEIRA, SEI EXATAMENTE DO QUE VC ESTÁ FALANDO...RS, SÓ A PARTE DO GINÁSIO QUE FOI UM POUCO DIFERENTE, TÍNHAMOS QUE FAZER UM DIÁRIO PARA A AULA DE PORTUGUÊS, SUPORTE DE XAXIM (DE CORDA) NA AULA DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA, DESENHO TÉCNICO (PRA QUE ISSO?), OSPB ETC...E NO MAGISTÉRIO ENTÃO??? rs, obrigada por me fazer recordar esses belos tempos...bjs!

Déborah Belmiro postou o comentário número:

Olá Renata!!
Obrigada pela visita e pelo recadinho!!
Gostei muito do seu blog!!
Virei seguidora também e já levei seu link pra minha lista de blogs!!

Volte sempre!

Beijokas!

Mônica postou o comentário número:

Renata
Pois eu tive uma hora da saudade e momentos deliciosos lendo este blog.
Dó não era bonita nem tinha a facilidade de encadernar. Mas mandava encadernar todas as minhas coleçoes!
Vou colar nos meus documentos.
com carinho Monica
estou indo para o Rio de janeiro

Lúcia Bezerra de Paiva postou o comentário número:

Sou tão ou mais jurássica que você, uma geração antes. Citaria "heróis" e brinquedos anteriores. A minha matéria de encadernar e fazer cabide, com aquelas serras infames, que quebravam à toa, chamva-se Trabalhos Manuais, na
sua já entrou o "industrial"...mais avançadinaha hehehe...
Uma delícia,Guidinha, recordar tudo isso, tá dentro da gente, não há quem apague. Por mais "inúteis" que possam ter sido, certas "experiências", valeram muito à pena.
Deixei, na Cadeirinha, uma resposta ao seu comentário. Hoje, ou amanhã, devo postar mais um pedacinho saguiano...
Beijos

Casa Decorada postou o comentário número:

Renata querida, que viagem hein amiga?Quantas lembranças....me recordei de muita coisa lendo seu post, que aliás está uma graça! Bj e muito obrigada pelo carinho la no CASA viu!
Bj
Valeria

Lúcia Bezerra de Paiva postou o comentário número:

Adorei, a história do seu comentáio de há pouco, na Cdeirinha. Dá um lindo post, menina. Na minha SAGA, lá adiante, eu vou falar é de uma Lápide sepulcral, que seria para aquele meu bisavô, vítima do Dendé do Cunhaú, que nunca foi posta no túmulo dele.
Sinta-se à vontade para escrever o quanto quiser na Cadeirinha, ela suporta. Mas vou lhe dar meu e-mail, para termos mais um meio de comunicação...já que nós duas, irmanadas, falamos muito. Respondi lá, seu comnetário, parecido com o que estou escrevendo aqui, agora.

Meu e-mail: lubpaiva@gmail.com
Beijinhos

Ale Quejinho postou o comentário número:

Tenho passado aqui sempre, mas não dá tempo de deixar recado...mas hoje consegui. Parabens pelo blog que está sempre lindo!
Ale

♥ Florzinha ♥ postou o comentário número:

Oi Renata, amo vim aqui no seu blog e ler suas histórias, faço uma verdadeira viagem (imaginando seus contos.
Beijos! ♥

Líviany Moura postou o comentário número:

Mas que maravilha relembrar tantas coisas assim! =)

Adoro quando sinto o cheiro de coisas que me lembram a minha infância, adorlescência. Quando vejo coisas, fotos. Maravilha, né?! So que a sensação de tecnologia que muda, de coisas que avançam e outras que desaparecem do mercado é ruim, no meu ponto de vista.

Obrigada pelas visitas (silenciosas - rs) no meu blog! Ando meio ausente de la, mas depois do dia 27 isso acaba e eu passo com mais calma para apreciar teus posts. =)

Beijo grande!

livianymoura.blogspot.com
docesucre.blogspot.com

Leninha postou o comentário número:

Oi Renata,estou novamente aqui,revivendo com você as memórias de um tempo que,jurássico sim,foi muito feliz...que fotos lindas as suas,pequenina!
Tenho fotos assim também,só que ainda não consigo passa-las para o computador...prá estas coisas ainda dependo de meu filho e ele mora loooooonge.
Assim como a amiga Lúcia,no meu tempo havia uma matéria chamada Trabalhos Manuais na qual se aprendia a bordar(infelizmente as pobres freiras não conseguiram o objetivo comigo).
Bem,vou parar por aqui,já me alonguei por demais.
Bjssssss e uma linda noite para você,
Leninha

Carmen postou o comentário número:

Numa galáxia muito...muito..distante,estávamos na mesma nave...!!!
Me recordo destes programas e amei ver as fotos, pois eu não lembrava mais do rosto do Nacional Kid!
Estou me divertindo muito !!!
Se vc não é escritora devia pensar na hipótese!!!
bjs.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...