Guidinha tricotando 2


Chego para a minha primeira aula de tricô... Vou entrado na loja e dirijo-me a uma senhora que julguei ser a professora, pois estava do outro lado do balcão, cheia de intimidade com duas agulhas e um novelo de lã.  Errei logo de cara em meu primeiro julgamento. A senhora era uma das alunas e por sinal mais zerada que eu na arte do tricô. Digo que sou zerada, pois o hábito de trabalhar com o crochê que a meu ver faz peças mais bonitas com linhas - material viável de ser manipulado o ano todo -  me bloqueou com o uso das duas agulhas. Parece que o frio está começando a fazer as malas e começa a ficar complicado trabalhar com lãs. Consequentemente volto para o crochê com linhas. Fazer tricô usando linha acho sem graça e com lã no verão parece-me ser tortura. Será que é necessário procurar um terapeuta?
Voltando ao dia da primeira aula... Um rapaz se aproxima de nós e pede que nos acomodemos em umas cadeiras que espalhou pelo local, comunicando que a professora e demais alunas já estariam chegando. (Eu e esse meu velho hábito de  achar que as coisas devem começar no horário marcado... Será que até nisso tenho que rever meus conceitos?).
A dona da loja cheia de amabilidades chega para dar as boas vindas e nos contar sobre a maravilha que é a arte de tricotar (acho que principalmente com lãs adquiridas lá na loja dela). Começa a nos explicar que tudo o que tem hoje é resultado do seu trabalho com o tricô, exercitado desde a adolescência. O papo estava ficando muito sério  parecendo coisa de escola mesmo, aí não resisti e pergunto: “a senhora não está se referindo a tendinite, artrite ou outra coisa dessa linha não, né? Porque se for isso que a senhora conseguiu, já estou indo embora". Com esse comentário, acabei quebrando o gelo do grupo que estava tímido e calado. A partir daí vi que seria a gaiata da roda e tentei me controlar nos comentários.
Gelo quebrado começam a surgir algumas conversas de tricoteiras. Logo me identifiquei com a Dona Celina. Uma senhorinha contida, daquelas evangélicas bem tradicionais, cabelinho trançado e enrolado em coque, usando um vestido  de linhas retas -  todas as outras de calças compridas em função da baixa temperatura do dia. Ela me contava que tem nove filhos e treze netos. Um doce de pessoa. Passou a tarde tentando começar um cachecol. Larguei o meu trabalho que por sinal também não estava conseguindo desenvolver e comecei a incentivá-la. Descubro então que a dificuldade dela é por não ter tido a oportunidade de no decorrer da vida, maior parte vivida na enxada e a lavar roupas, desenvolver a coordenação motora fina. Ela me conta que a sua escrita é muito feia, tendo aprendido a ler já adulta.
Propus a troca de agulhas, para umas mais grossas. A minha cara de pau me instalando como instrutora substituta foi um sucesso. Dona Celina ficou vibrando de alegria ao constatar que a mudança das agulhas facilitou o trabalho e sua peça começava a ganhar corpo. Nem preciso dizer que ganhei uma fã... Ela ficou tão saidinha que já me desafiou na disputa de quem terminaria o trabalho primeiro.
Não fiquei é claro com o desafio restrito a nós duas. Passei a bola a diante e desafiei o resto do grupo. A dona da loja ouvindo o burburinho das "meninas" logo se aproxima para se interar da conversa. Resolve participar da disputa, mas vai logo avisando: “É difícil alguma de vocês me superar. Quando tinha 20 anos, participei do 1º Concurso de tricoteiras mais ligeiras da televisão no Programa do Chacrinha na TV Rio. Adivinhem que foi a vencedora? Eu!”
Sigo dizendo: “- Ah não, a senhora  tricotou no Chacrinha? Gente de Deus, segurem essas agulhas e não soltem mais. Tricotar deve ser melhor que beber e se banhar com água da fonte da juventude. Esse lugar aqui deve ser Shangri-la...Não consigo imaginar que idade pode ter essa senhora, não tem a pele enrugada e a expressão não denuncia cirurgias plásticas... Será que usa sabonete de formol? Prefiro o crochê, porém acho melhor me exercitar todos os dias com o tricô. Posso não conseguir produzir lindas peças, já a minha cútis deve dar uma grande melhorada...

 


Em outros momentos vou contando sobre as aulas para as postagens não ficarem tão longas...  Por hora vou interrompendo esse assunto, já que minha vida não é feita só de tricô...

Queridos novos e antigos seguidores, estou resolvendo pequenos assuntos de saúde por isso tenho demorado a atualizar postagens e também chegar em seus cantinhos. Espero na próxima semana já estar com tudo no ritmo normal. Bjks

15 comentários:

Paulinha do Brechó Recicle postou o comentário número:

Que legal,adoro aprender coisas novas e assim como vc,vivo me matriculando em cursos dos mais diversos...Rs... O último foi de caixinhas de MDF e me divertia escutando a prosa das "meninas" durante a aula...rsrsr

Continue firme e forte na luta amigaaaaaaaa

Bjs

casa de professora postou o comentário número:

Ai Guidinha, deve ser muito divertido ter vc como amiga real, fazer cursos e tomar um chá, sonho em conhecer algumas de minhas amigas blogueiras pessoalmente e vc está na minha lista...bjs!

Rô... postou o comentário número:

oi Rê,

fazer trico a seu lado deve ser a coisa mais gostosa e divertida do mundo,
mais que tomar chocolate quente no inverno,
e banho de mar no verão...
você é inspiradíssima,
adoro te ler de montão...

muitos beijinhos
ainda vamos nos conhecer
pessoalmente!

Conceição postou o comentário número:

Olá Renata,

Ai, quem me dera ir contigo...aqui não há nada disso, buááá!
Beijocas
São

Anônimo postou o comentário número:

GENIAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
VAMOS COLOCAR OS IDOSOS NA CADEIA ...
UMA IDEIA A EXPLORAR?

Veja no http://vindodospampas.blogspot.com/

Leninha postou o comentário número:

Renata muito querida,olha que já estou quase desistindo da minha viagem,prá me matricular nesta aula de tricô...mas como você está resolvendo seus probleminhas de saúde,creio que deve estar um pouco afastada das aulas,né?Devo ficar fora só uma semana e quando estiver de volta,irei correndo me matricular...
Estou mesmo precisando de uma motivação prá sair de casa,do contrário fico grudada na internet o dia inteiro...
Agora,falando muito sério:seus escritos precisam ser publicados,sua facilidade de comunicação é impressionante,e não sou eu só que afirmo isto,veja os demais comentários...você tem um dom,um talento e não pode desperdiçá-lo.
Bjssssss carinhosos,amiga,
Leninha

Mônica postou o comentário número:

Renata
Eu não aprendi a fazer nada. Estou tentando bordar, mas quando vejo estou lendo.
Eu preciso aprender, mas mais tarde.
com carinho MOnica
Mas se eu tivese nesta aula iria ser divertido ve-la monitorando o grupo.

Turquezza postou o comentário número:

Oi menina! Eu adoro as aulas de tricot, me vi em você rsrs também sou assim "saidinha", quebra gelo. Mas umas aulinhas com as outras meninas é muito bom. Para tudo, até para rejuvenescer rsrsr
Fique boa depressinha. Tem Blogagem Coletiva de sapatinhos lá no meu blog. Beijos.

Helena Compagno postou o comentário número:

Menina, vou te dar um conselho: largue esse tricô e crochê e mande suas crônicas para revistas e jornais porque elas só ótimas. Não levo jeito para tricô e nem crochê, mas se morasse por aí, juro que iria me inscrever nesse curso aí só para "tricar" ao teu lado. Dou risada o tempo todo.
E vê se fica boa logo para postar o segundo capítulo.
Beijos,

Nile e Richard postou o comentário número:

Olá Renatinha.
Que bom estar em aulas de trico.
Gostei da animação que deu ao grupo.
Lembre-se que trico não é o fim do mundo e sim uma agradável terapia,assim como o croche e outros.
Votos de boas continuações no cursinho e bom fim de semana para voce.
bjtos.Nile.

Leticia Carneiro postou o comentário número:

Oi Re, só vc mesmo né... entra no curso para aprender e vira professora, essa aula deve ter sido muito divertida...kkk, vai em frente amiga, eu também estou na mesma situação que vc, brigando com as duas agulhas, mas um dia eu chego lá, e tenho certeza que vc tbém vai conseguir.
Bjim`´ e bom final de semana.

Lucinha postou o comentário número:

Renata,

Me socorre! Eu mal comecei a tentar aprender crochê, e vem essa coisa de tricô com duas agulhas.kkk
Menina, viajei nessa história. A professora vai lhe dar supensão, rs você está tomando o lugar dela. E olha que a mulher já ganhou até concurso no Chacrinha. Rs
Brincadeiras à parte. Bem que você poderia vir pra cá para as minhas aulas de crochê, iria ser muito agradável aprender com uma pessoa tão alto astral.

Comigo aconteceu um pouco diferente: mal comecei o curso de crochê a professora, que é um amor e já ensinou muitos por aqui, descobriu uma doença grave. Menina, quase morri do coração, com ela me contando. Tive que segurar o choro e dar muita força. Até que me sai bem.
Mas depois que saí e entrei no carro, chorei até chegar em casa. Que falta de sorte minha. A mulher dá aula aqui há muitos anos, e logo agora vai ficar doente.
Sabe o que fiz: me ofereci pra ajudar, e até ir para o hospital com ela se for preciso. Arrumei uma amigona.
E assim vamos seguindo.

Falei que ia voltar e voltei. Amei o seu cantinho. Beijos

Cora postou o comentário número:

Eita lê-lê, meu pc desligou bem na hora que comentei...rs!
Renata, li que não está muito bem de saúde, vou fazer uma oração tá?!!
Adorei o relato das aulas!!!
*))
beijão.

Nilda postou o comentário número:

***OI MINHA AMIGA RENATA OBRIGADA POR TER VINDO COMEMORAR COMIGO O 1º ANINHO DO MEU BLOG***
**E PODE REPETIR QUANTOS PEDAÇO DE BOLO QUIZER, FOI FEITO ESPECIALMENTE PRA VOCES,MINHAS AMIGAS QUERIDAS.
***BEIJÃO MINHA LINDA***
**NILDA MOURA**

Ana de Geo postou o comentário número:

Ai, será que dá tempo de eu aprender? Quero ficar jovem assim pra sempre! hehehe
Menina, nunca fui boa com agulhas! A minha mãe até que se admira, porque eu tenho duas "mãos direitas" e nunca aprendi tricô e nem crochê! Mas vai contando aí... tenho andado ausente pq estou sem internet em casa, mas já estou resolvendo isso e logo logo voltarei às postagens mais frequentes...
Um grande beijo pra ti e fica na Paz!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...