Guidinha tricotando...

Sou viciada em crochê. Admito que seja vício sim. Se ficar um tempo sem crochetar vou sentindo-me um tanto "desesperada"...
Minha história com o crochê começou quando eu ainda era menina (isso já faz certo tempo...). Tinha duas vizinhas  idosas, a Dona Zuzuca e a Dona Fifina, que crochetavam divinamente e encantavam-me. Além das duas, a minha madrinha Solange, aí já falando de gente bem mais nova, sempre foi crocheteira de mão cheia, trabalhando linhas finíssimas com maestria.
Foi com Dona Fifina que aprendi os primeiros passos dessa arte. Tive o privilégio de no colégio, nas aulas de artes manuais, receber os ensinamentos da querida Dona Ana. Como era bom receber notas por fazer crochê. Ô tempo bom! Não posso me esquecer a Maria Maia, prima de meu avô Alziro, que carregando linha e a agulha em todo canto que ia, me ensinou muita coisa também. Além de gostar muito de tecer os meus trabalhinhos tudo que se refere a isso me remete a lembranças maravilhosas...
Com o crochê tenho um relacionamento resolvido. Já o tricô, ai meu Deus! Essas duas agulhas sempre me venceram.
Cresci admirando a Dona Odicéa - outra vizinha, tricoteira manual profissional. Passava o dia com as agulhas nas mãos. Cuidava da casa, dos filhos e conversava com a vizinhança sem parar de tricotar. Eu ficava abismada com a sua destreza e agilidade. Achava o máximo alguém receber dinheiro em troca de uma atividade tão prazerosa. Criança não tem noção mesmo. Ela corria contra o tempo tentando dar conta das encomendas e eu achando que era pura diversão...
O tempo passou e fiquei com a vontade de tricotar guardada. Minha mãe tecia uma coisa ou outra, mas o tempo era pouco, pois ela trabalhava fora e nós os filhos, não dávamos descanso.
Quando tinha meus 15 anos fiz a minha primeira e por anos, única peça em tricô. Deu um trabalhão. Acho que compensou. Está no uso até hoje. Ela -  minha obra de arte  -  é tão agradecida e dedicada a dona que mesmo com os seus 35 anos de uso, nem pensa em se aposentar. Fui esperta e tricotei um modelito atemporal... (Por causa do desafio que foi confeccioná-la, mantive o mesmo "corpinho" para não correr o risco de ficar sem usá-la).
                                                                                               Casaco (grande obra) tricotado aos 15 anos que ainda uso...
 
                                                          não me peçam para repetir o desafio...
 
Minhas filhas eram pequenas e eu passava em frente à Casa São José - um armarinho que existia aqui - e via sempre um grupo de mulheres que se reuniam para as aulas de tricô. Ficava morrendo de vontade de me juntar a elas. Não tinha como. Trabalhando o dia todo, filhas pequenas, família distante... Prometi a mim mesma que um dia iria conseguir fazer isso. Cada um sonha com uma coisa e esse meu sonho prosaico, foi alimentado até esses dias.
É claro que não passei a vida nessa espera. Comprei lãs, agulhas e consegui tecer mais algumas peças. Só que eu queria mesmo é fazer parte daquela roda de mulheres a tricotar. Agora, filhas criadas, atividades profissionais praticamente encerradas, chegou a hora!
Passei com uma de minhas filhas na porta de uma loja e vi um anúncio das aulas de tricô. Não perdi tempo, fui me informar. As aulas não eram ali e sim em outro estabelecimento comercial bem pertinho...
Feliz feito pinto no lixo, lá estou eu sentada junto com um grupo de mulheres em minhas aulas de tricô!
Até aqui, tudo sério. Só que vocês não podem imaginar a primeira aula... Conto no próximo post.

29 comentários:

LaReK postou o comentário número:

RÊÊÊÊÊÊÊ! Vc não imagina a coincidência: o tricô sempre me venceu também!!! A mim e à minha mãe - mas a mãe, como você, agora depois de filhos criados e aposentada, fez sua blusa de tricô e outras coisinhas mais! Que jóia! E estes grupos de tricoteiras e crocheteiras são muito legais... a mãe faz parte de um, que faz quadradinhos de crochê, une-os em mantas, que são doadas aos moradores de rua. Quem sabe, depois de um tempo, eu tbm vou fazer parte de um grupo de trico? Tomara!

Beijinhos!

Favo de Mel postou o comentário número:

Aiiiiiií menina ficou perfeito, parabéns.

Lúcia Bezerra de Paiva postou o comentário número:

Guidinha, sua "obra prima" é linda. tenho um casaco semelhante ao seu ma foi comprado.
Minha mãe fazia só sapatinhos de bebê,e eu nunca consegui sair da primeira fileirinha. Em croché,o mesmo fracasso. Só fui boa em costura.
Parabéns, pela persistência e habilidades...
Beijos

Eva postou o comentário número:

Renata, voce me surpreende, além de uma grande escritora, que eu considero muito, é uma tricoteira de mão cheia hein? Parabéns, achei linda sua obra. bjinhos querida.

Rô... postou o comentário número:

oi Re,

menina como é gostoso te ler,
parece que você está sentada aqui comigo,
na mesa tomando um cházinho e jogando conversa fora,
é demais de gostoso,
você nem pode imaginar o quanto,
é um dia a dia muito cheio de atrativos,
me encanta totalmente,
ah,
a blusa é linda e está perfeita...

beijinhos

Uma parte de mim postou o comentário número:

Renata lindo seu casaco! quem dera poder ter o talento de tricotar, ñ sei nada a respeito.Faço algumas coisinhas com crochê, mais nada tão belo assim que se possa parar e admirar.Depois das aulas quero vê a pratica!! bjo.

Turquezza postou o comentário número:

Oi! Estou chegando agora aqui e já gostei. Estou seguindo.
Me visita também?
http://turquezzavariedade.blogspot.com
Se gostar pode seguir, será um prazer.
Estou fazendo Blogagem Coletiva, participa, tá?
Obrigada. Beijos.

Leninha postou o comentário número:

Renata muito querida,primeiramente uma pergunta:tá de molho porquê?Por conta do frio,não deve ser,já que confessa que adora um ventinho gelado...então,qual a causa,pois em minha família
ficar de molho é sinônimo de estar doente,de cama.
Mas como cada terra tem seu uso e cada roca tem seu fuso,pode ser que por aqui haja um significado
diferente...tomara.Mande notícias,tá?

Agora,sobre o tricô,tenho verdadeiro trauma,só consegui tricotar um colete em minha vida(e pôe vida nisso)...minha mãezinha era uma tricoteira de mão cheia,fazia o que queria com as agulhas e mesmo depois de cega,não desistiu,fazia tapetes de barbante sem parar...deixou um estoque deles em minha casa e na casa de meu irmão...fez um para cada neto,para todos os meus amigos,era uma coisa linda de se ver,sentadinha na varanda,horas a fio,tricotando.
Então admiro profundamente quem se dispôe a aprender,como você...e que aos quinze anos executou uma obra prima...lindo o seu casaco.
Bem,vou parar,pois este comentário já está virando uma postagem,né?
Espero que continue a novela,pois o primeiro capítulo foi excelente,fiquei tão curiosa que estou quase indo me matricular também...
Bjssssss e muito carinho(vou tomar um vinho,aceita?),
Leninha

Blog da Tarde postou o comentário número:

que coisa mais fofaaa!!!

DA UMA PASSADINHA LA, TEM COISA NOVA: http://www.blogdatardee.blogspot.com/

Mônica postou o comentário número:

Renata
Que maravilha! Aprender tricô. Eu me lembro de minha tia Clarice. Fazia cada roupinha de nenen lindas.Croche voce já sabe e faz muito bem!
Eu não sei nada , só faço ums bordadinhos de pano de prato.

A história daquelas cartas é longa. Minha tia avó faleceu há dois anos atras com 101 anos e meu irmão trouxe as cartas e as fotografias.
Parece histórias. Muitas dariam um livro se eu soubesse inventa-las.

com carinho Monica

Mônica postou o comentário número:

renata
eu esqueci de dizer que todos os seus comentários sobre Missa já estão incluidos nos meu cantinho onde posso ler mais vezes.
Mamae adorou o que disse .
Agradeço e desejo também que Maria, nossa mãezinha a proteja sempre.
com carinho Monica

Elaine Canha postou o comentário número:

Oi
Parabéns pela perseverança. Também estou às voltas procurando melhorar minha costura e assim que abrir um curso de corte para iniciantes vou me inscrever.

Beijos e bom final de semana

Corina postou o comentário número:

Oiii Renata, quanto tempo!!! Muuuito obrigada pelo carinho!!! Que talento!! A blusa ficou muuuito bela!! Tenho umas de tricot tb aqui que adoro!!! Bjosss

Andrea Guim postou o comentário número:

Oi, Renata!

Vim te convidar pro novo SORTEIO no meu blog. Bora lá participar!!

Beijins,
Andrea Guim

Mari Hart postou o comentário número:

Querida, tô cada vez mais encantada com vc! Pela sua história, seu jeito de ser, consigo até imaginar o tom de sua voz falando! Vejo o qto tenho que aprender e o qto é bom ter pessoas assim por perto mesmo que virtualmente!

Obrigada pelo carinho! =))

Qto ao tricô, esta é uma arte admirável, mas que infelizmente não tive talento para ela! Além do que deve ser uma terapia!

Um beijo enorme! Muita luz pra vc!

Deusa postou o comentário número:

Saudadeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee...rsrsrsrs.Eu também amo trico,uma vez tentei aprender,mas a paciência não deixou.A blusa ficou linda,nunca vai sair de mosa...e um classico...tão bom a gente ter lembranças felizes,eu amo suas histórias,você começa despretenciosamente e a gente não consegue parar de ler.
Beijinhos
Deusa
vasinhos coloridos

bruna postou o comentário número:

Guida, quer me matar de curiosidade né? Gente, que coincidência, você não vai acreditar, comecei a tricotar agora, também uma de minhas lembranças de infância, graças à uma das escolas em que eu trabalho, que pede para que nós professoras saibamos fazer artes manuais. Estou ficando viciada e dá um prazer danado olhar e usar uma coisa que nós mesmas fizemos, estou até orgulhosa, e olha que nem é essas maravilhas como o lindo casaco que vc fez. Parabéns!

Helena Compagno postou o comentário número:

Conta logo o que aconteceu. Sou curiosa por causos engraçados.
Mas 35 anos com o mesmo corpito? Isso sim é maravilha!!
Lindo o casaquinho e versátil!
Beijos

'Coisas que sei fazer' postou o comentário número:

Oi querida, obrigada pela visita tambem amo croche e tricô, depois postarei algumas coisas que fizm mas so faço coisas simples, bejos e estou te seguindo,

Leninha postou o comentário número:

Renata querida,já saiu do molho?Espero que sim,tá?
Hoje está um dia lindo,né?Bom prá passear,botar o pé na estrada,andar pela rua,ver as pessoas que saíram daquele aspecto macambúzio que o frio traz.
Mas,estou em casa,fazendo uma coisa que adoro também fazer quando têm sol,lavando roupas...coisa prosaica,mas que prá mim tem uma poesia imensa...gosto de ver as roupas voando ao sabor do vento,não sei,é uma herança genética de avós,é algo atávico,não sei bem explicar esta sensação...
Ontem vimos Cartas para Julieta(até comentei no Sonhos)e foi muito bom rever um filme que me faz viajar no tempo e no espaço...
E o segundo capítulo do tricô,já está saindo?Olha que já tem fila esperando...
Uma semana muito feliz para você e os seus.
Bjsssssss,
Leninha

Mônica postou o comentário número:

renata
Tenha uma otima semana
com carinho Monica

maria alice marques postou o comentário número:

Olá amiga passei para lhe dizer um olá, já algun tempo que qui não vinha e eu gostei da historia do croche.
UM ABRAÇO

FLAVIA CRISTINA C. postou o comentário número:

QUE LEGAL, TENHO UMA ASSIM QUE ERA DA MINHA MÃE E ME DEU PORQUE NÃO SERVIA MAIS, É ETERNA
E VIM TAMBÉM PEDIR SEU VOTO PARA UM CONCURSO QUE ESTOU PARTICIPANDO LÁ NO BLOG DA FATIMA, ESTOU CONCORRENDO COM UMA FOTO DO MEU JARDIM E FICAREI MUITO FELIZ COM SEU VOTO, O LINK É ESSE

http://fadinhadaarte.blogspot.com/2011/08/finalistas-do-concurso-meu-doce.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+FadinhaDaArte+%28Fadinha+da+Arte%29

ÓTIMA SEMANA...

Déia postou o comentário número:

Oi Re, incrível vc ainda caber na mesma blusa de antigamente, rsss
Se fosse eu não caberia nem se cortasse ao meio, heheh.
Não sei nem crochê , nem tricô,e ja tentei aula dos dois, e nao me dei bem.

Já reclamei que queria ter ganho o livro. Putz que droga, que não fui eu, heheh
uma semana abençoada
beijos Flor

Ale Quejinho postou o comentário número:

Amo croche e trico, sao meus vicios....
Ale

Cleide Ana Rota postou o comentário número:

Tricô e crochê são belas artes... Imaginar que daquele simples fio pode sair algo tão fofo e perfeito! Nossa vida é como esse fio de linha, não é; amiga? Cada dia tricotamos um pouquinho e no fim compreendemos como foi valeu a pena e foi tão lindo e especial, nos erros e acertos construimos uma vida de aconchego e busca espiritual. Amamos você; mil beijos, Cleide e Heloísa.

Ateliê Artesanatos da Daninha postou o comentário número:

oieeee estou te seguindo!!! lindo blog!!
Vim lhe convidar para Participar da promoção do meu blog!
www.artesanatosdadaninha.blogspot.com
E concorra 1 kit de aviamentos da Hak
Convide as amigas!!

KINHA postou o comentário número:

Olá Renata

Eu sou Kinha do blog AMIGA DA MODA e vim conhecer seu espaço que é lindo e interessante e por isto já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.
QUER GANHAR UMA JOIA? A designer Eliana Colognese criou um belíssimo anel e gostaríamos muito de contar com a sua participação. Faça a sua inscrição no blog e...Boa Sorte

Bjooooooooooo...................
http://amigadamoda.blogspot.com

Ana de Geo postou o comentário número:

Guidinha, não sei o que me espanta mais! Tricotar com quinze anos... o casaco ficou lindo apesar de ser a primeira experiência... vc continua fiel ao seu manequim... vc no meio da roda de mulheres literalmente tricotando... Ah é tanta coisa!
Eu amo isso daqui! Vou pro próximo post agora mesmo saber o resto da história!
Beijos e fica na Paz!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...