Vivendo com a metade...


Como é do conhecimento de muitos, este ano a região serrana do Estado do Rio de Janeiro, sofreu uma grande catástrofe. Vidas se foram, famílias dilaceraram-se e um novo mapa geográfico de parte dessa região é preciso ser desenhado, já que rios mudaram de curso, trechos de mata viraram pedra...  A vida mudou. Um processo de sucessão ecológica está em andamento e só um futuro distante poderá revelar o novo perfil desses 300 km que foram rasgados pela força da natureza.
Quando tudo isso aconteceu embora não tenha sofrido perdas materiais, senti que fui sacudida profundamente por tudo que via. Parecia que estávamos em guerra. Impossível ficar alheia ao barulho constante das ambulâncias, carros de bombeiros, helicópteros e tudo mais que rondava por aqui. Temos na cidade vários canais locais de televisão e mesmo quem não foi até o ponto exato onde tudo ocorreu, podia ver cada detalhe do que estava acontecendo. 
Naquela madrugada de 12 de janeiro, acordei com o barulho da chuva e a falta de luz. Liguei o rádio de pilha (meu velho companheiro) e logo percebi o tamanho da tragédia, pois muitos pediam socorro através da rádio CBN usando a Net.
Não quero relatar fatos já conhecidos. Coloco aqui minhas sensações e tomada de posição em relação ao que vivi. A partir dessa catástrofe, decidi viver com a metade. Jamais poderia ter o coração tranquilo se não pudesse partilhar o que tinha com os irmãos que foram atingidos e deveriam começar a vida da estaca zero.
Posso garantir que tudo isso que aconteceu foi para mim, uma transformação radical no olhar a vida. Não exigi que a família me acompanhasse na mudança, pois isso acho que é uma experiência individual, embora todos tenham partilhado seus pertences. No meu caso a coisa foi além. Literalmente dividi minhas coisas de uso pessoal como roupas, calçados, bolsas, etc. Descobri que materialmente metade do que temos em casa é supérfluo. Dividi por dois praticamente tudo, roupas de cama, mesa, banho, pratos, panelas, copos, talheres, xícaras... Fiquei com a metade e a outra doei. O incrível é que continuo com a casa lotada, sem que durante o ano tenha saído  a comprar coisas e mais coisas por aí.
Agora, chegado o Advento (para os católicos as quatro semanas que antecedem o Natal -  início de um novo ano litúrgico - onde acontece nossa preparação para  a chegada do Menino Jesus), novamente embarco em minha avaliação material dessa casa. Procuro em cada cantinho o que pode estar fazendo falta a alguém e aqui está encontrando apenas o repouso do desuso. Quero começar o ano do calendário civil com a casa abrigando somente aquilo de que necessitamos. É claro que algumas coisas que fazem parte do pacote das lembranças permanecerão, não partirei para o radicalismo.
No decorrer do ano, minha solidariedade não se limitou ao material. Realizei outras partilhas e desejo continuar com essa postura cristã, muitas vezes deixada de lado por alguns pelo simples comodismo e não por falta de terem o que oferecer ao próximo.
Lá vou eu seguindo a minha estrada, ficando com a metade para me sentir inteira.

E você, precisa realmente de tudo isso que insiste em guardar (colecionar, acumular) por aí? Já pensou em partilhar a metade com alguém?





Obs: Por conta de toda essa arrumação que ando fazendo na casa, tentando avaliar o que vai ser doado (pois doação só pode ser aquilo que está sobrando e não o que  não serve mais - isso é outra coisa, é lixo e como tal deve ser descartado ou reciclado), tenho estado ausente em muitos blogs. Logo chego para visitá-los. Só aguardem um pouquinho, estou terminando de embalar as coisas...  Alguns novos seguidores aqui da Cerca também receberão o meu carinho. Já, já entro em contato com vocês.

15 comentários:

Val postou o comentário número:

Re...cada vez mais sou fã...isso é que é ser cristã! Tudo que fazemos ao próximo volta pra gente, tenho total certeza disso...toda vez que ajudamos alguem, mesmo que seja, anonimamente recebemos as boas energias de agradecimento que eles nos mandam...e isso faz muito bem!

Bjks

Val
www.balaioediariodaval.blogspot.com

✿ chica postou o comentário número:

Tenho amigos que passaram por isso e acompanhei de perto...
E aqui em casa sabe como faço?
Por exemplo agora no meu niver ganhei de uma filha 2 pares de sandálias. No dia seguinte cedinho, 2 foram doados dos que eu ainda usava.

Tenho há mais de 40 anos essa filosofia.,Uma coisa entra, outra sai.E interessante, SEMPRE tem alguém pra usar e desfrutar.

Faz um bem e dá um alívio! beijos,vou mandar teu link pra minha amiga Norma, talvez ela até te conheça. beijos,chica

Leninha postou o comentário número:

Oi Renata querida,
Boa noite!!!

As reações são diferentes de pessoa para pessoa,Rê...eu já sai correndo atrás de caminhões do exército lá no Rio...já doei em asilos,abrigos e casas de Assistência,estas últimas muito bem aproveitadas.A corrida atrás do caminhão foi vã,fiquei depois sabendo que foram parar em outras mãos.
Então só faço doações,agora,para pessoas que necessitem realmente e que eu possa entregar em mãos,sem intermediários...espero que vc também o faça pois as histórias que ouço aqui não são muito diferentes das que ocorreram lá.Uma covardia,o que foi feito.
Sempre tive e tenho muita compaixão pelos necessitados,mas gato escaldado...a água nem era fria era gelada.
Bjsssss,minha querida,
Leninha

Turquezza postou o comentário número:

Nunca fui apegada às coisas materiais. Sem hipocrisia, vivo com o necessário que me faz feliz. Sempre faço separações (doação, reciclagem, lixo). Sinto a alma lavado, um bem estar enorme. Não dou valor a carrão do ano, tenho o meu que me satisfaz muito bem, claro que bem cuidado para durar bastante e ser confortável. E por aí vai ..... Quando compro alguma coisa, retiro outra do lugar e vai para outra pessoa aproveitar. Se todos doassem um pouquinho.... Sempre tem alguém que tem menos que nós e precisam muito mais.
Estamos no caminho certo.
Vou colocar seu post no meu Face. É um exemplo!
Beijos querida.

blog da Paraguassu postou o comentário número:

Renata querida,
Que postagem linda, não fora as cruciais dores
e perdas desse povo todo, nossos irmãos tão sofridos.

A caridade se faz de diversas formas, desde um sorriso, um abraço e, até mesmo, parando um pouco para ouvir os problemas dos outros.
E você conseguiu muito mais que isto: dividir suas coisas com o próximo. Parabéns pelo seu desprendimento e amor aos necessitados.
Um grande beijo em seu coração.
Maria Paraguassu.

Lucinha postou o comentário número:

Renata,

Primeiro quero lhe dizer que você é uma pessoa que estimo muito, e mesmo não vindo aqui com frequencia, saíba que gosto muito daqui e das suas partilhas.
Eu estava lembrando que vai fazer um ano dessa tragédia. Também não quero entrar em detalhes, mas penso como deve estar aqueles que perderam tudo.
Seu ato foi lindo e de desapego. E pelo que você mesma relatou, nada lhe faltou, muito pelo contrário.
Seu recado foi dado de uma forma muito singela. E vamos fazer cada um a nossa parte.
Querida, eu lembro muito de você quando vejo as Cercas Vivas daqui, elas combinam com seu lindo cantinho.
Abraço

Márcia postou o comentário número:

Menina, fique à vontade. Nós suas seguidoras compreendemos e apoiamos sua atitude tão linda e cristã. Se todos tivessem a mesma postura que você, o mundo seria bem melhor. Fique ausente o tempo que for necessário, bjus.

Valérie Roberto postou o comentário número:

Que lindo seu depoimento!!

Acompanhei a tragédia do Rio pela CBN também e para mim, foi a melhor cobertura.

è triste ver que muito do que foi feito não chegou a quem precisava

Um beijo

Leninha postou o comentário número:

Minha muito querida Renata,

De volta estou para agradecer a visita e às orações no Sonhos e Encantos.Você é uma das pessoas mais sensíveis que conheço...te admiro muito e fico honrada com sua amizade.
Hoje estou no consultório e não sei se este comentário vai ser publicado.Vou salvá-lo.
Bjssss carinhosos
Leninha

http://leninha-sonhoseencantos.blogspot.com

Hana postou o comentário número:

Bom dia pessoa maravilhosa, que espaço fantástico vc tem aqui, este texto tão solidário, tão conciente, chegou a me emocionar.
Ser de luz vc, reconhço aluz em vc minh aquerida, e falamos a mesma linguagem, como é bom encontrar semelhantes de enorme coração, de enorme conciencia fraternal. Faço minha sua dor, estou solidária a vc neste texto que chega a ser uma oração que faz o ser humano refletir. Vou te seguir com prazer, vou estar ao seu lado sempre, e que orgulho de dizer que de agora em diante sou sua amiga. Vim pelas mão da Leninha, uma querida solidária em atitudes, pois colocou meu post la em seu blog, numa tentativa de fazer uma corrente força em fé, em prol de pessoas, amigos que sofrem.
Querida, de coração obrigada por ser assim, obrigada por mpomentos que aqui passei, amei conhecer vc.Eu sou luz e estou Hana e reconheço a luz em vc!! Vc já esta dentro do meu coração.
Com carinho
Hana

Mônica postou o comentário número:

Renata
Voce é mesmo espetacular!
Eu também acho que temos muitas coisas que podemos dividoir em dois ou tres.
Este ano estaremos em SA.E vamos dividir nossas coisas com o asilo.
Já comecei a separar
Um abraço
com amizade e carinho de Monica

Rô... postou o comentário número:

oi Re,

que postagem mais linda,
você reparte seu coração com todos nós,
a sua dignidade como ser humano,
supera qualquer expectativa,
você além de cristã,
é humana,
é amorosa e caridosa,
no verdadeiro sentido das palavras,
aqui em casa sempre costumamos dividir tudo,
até alimento com os vizinhos,
mas mais e mais aprendo com você,
e mesmo com o tempo curto,
vou começar minha partilha...

obrigada por me lembrar da importância do doar-se,
você é incrível...

muitos beijinhos,
minha amiga de coração

LILIANE postou o comentário número:

Renata
muito boa sua partilha, seu bom senso de definir o que é bom pra você e não impor isso aos outros.
Excelente.
Foi mesmo uma tragédia que pra alguns trouxe mudanças, pra outros oportunidade de lucrar.
Enfim, vamos viver aprendendo o que é bom pra gente, né.
vou aplicar isso em minha vida;
bjs

Rosinha postou o comentário número:

Oi Renata hj parei para ler suas postagens e qual não foi minha surpresa ao le-las e sentir a grandeza de espirito que você possui. Parabéns amiga que Deus a abençõe muito e muito obrigada pelo envio dos presentes do Victor, ainda não recebí, mas desde já agradeço-lhe. Quero lhe dizer tb que como vc mesma disse, sua casa está sempre cheia, nada tem lhe faltado, isto se dá ao fato de saber repartir doar, pois quanto mais se doa mais recebemos graças de Deus. Tenha um ótimo fim de semana e fique com a graça de Deus amém . Bjs...

Rosinha postou o comentário número:

É amiga tb estou nesta idade perto da sua 52 e ´r tudo assim mesmo como vc disse, eu já havia observado isso tudo, mas vc expressou muito bem a situação parabéns e vamos nós na meia idade kkkkk perto da terceira idade, a sei lá, isso deixa qualquer uma louca rsrsrrs.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...