"Receita" no casamento


Ando espantada com a necessidade que as pessoas têm de se fazerem infelizes. Esquisito escrever isso, mas é exatamente assim que vejo um montão de gente agir. É um tal de chorar pitanga sem motivo que está me dando nos nervos. Em determinados dias pensam que sou médica especialista em matrimônio (existe matrimonista?) e atendo pelo SUS, com direito a fila e tudo... Ocorrem situações tão esquisitas que alguns pacientes só querem mesmo o atestado de óbito. Sim, querem que eu ateste que o casamento deles morreu. 
Nunca casei ninguém, porque será que na hora em que a coisa fica esquisita, resolvem que posso ajudar? Será que se começar a cobrar vou perder "clientes" ou ficar rica? A galera precisa de receita... O problema é que a maioria dos casos a causa mortis dos casamentos é a tal receita, só que essa não é  de bolo, de comidinhas especiais, de remédios e sim aquela cujo significado é financeiro. Esse tal de dinheiro tem acabado com juras de amor eterno em fração de segundos. 
Ontem uma dessas minhas "clientes" disse que vai se separar do marido, pois quer viver um grande amor. Perguntei se já tem algum em vista e ela ficou ofendidíssima, dizendo-me logo que descobriu  não amar o marido por diversos motivos, porém não existe ainda uma terceira pessoa no enredo. Seguindo a "anamnese" fui indagando sobre a história dos dois (a maior parte eu já conheço, pois convivo com o casal quase que o mesmo tempo de minha existência) e ela foi desfiando o rosário de lamentações acerca de um casamento de trinta anos, onde ela sempre ganhou mais que ele, sendo assim, cansou de bancar a maior parte das despesas da casa. Descobriu que quer ser bancada... A conversa rodou, virou , mexeu e tudo se relacionava ao dinheiro. Diga-se de passagem que o cara sempre trabalhou, o problema é não conseguir ganhar tanta grana quanto ela. Depois de uma lista enorme de reclamações sem sentido, a única coisa que me deu vontade de dizer foi que se é pra arrumar um grande amor, vai ter que procurar alguém bem alto e forte, sendo essa a única certeza de que será grande, pois a maioria dos problemas que estava me relatando, vinham dela e não do outro... (acho que perdi a "cliente").
Após nos despedirmos (estávamos lanchando juntas), meu celular toca com um outro caso tão parecido que fiquei na dúvida se não estava falando com a mesma pessoa... Novamente a tal receita... Um lero lero sem fim. Quase cinquenta minutos no celular ouvindo profundas reflexões sobre o desamor advindo do bolso desprovido do marido. Mais uma querendo ser bancada e sem necessidade, pois tem um bom emprego. Não ando lá muito habilidosa nas abordagens e solto a idiotice: Não dá pra querer ser mesa, cama, cadeira, qualquer outra coisa? Você já é a segunda pessoa hoje que me diz querer ser bancada. Pra quê meu Deus foi dizer isso? Estou precisando fazer um curso de refinamento e paciência, se bem que a amiga (ou ex, vai saber...) ficou tão enfurecida que deve ter ido cair nos braços do marido a reclamar de mim. Será que salvei um casamento?
Agora  um amigo diz ter acabado de sair de casa por não aguentar tanta cobrança da mulher que se sente cansada de dividir as despesas com ele. Até ontem pereciam um casal de pombinhos... Pede-me que converse com ela, pois ele a ama muito, só não tem dinheiro para segurar as pontas todas sozinho... Ainda bem que ele não me disse que a minha amiga queria ser bancada também. Já ando com medo de minhas intervenções...
Cheguei a uma triste conclusão: Não está faltando amor. O que está faltando é dinheiro mesmo. Que pena esse mundo ser comandado pelo vil metal... Haja receita e paciência para tanto chororô de pitangas!

9 comentários:

Rô... postou o comentário número:

oi Re,

as vezes fico em dúvida se é mesmo por amor que se casaram,
pois eu acredito naquele amor que tudo supera,tudo suporta,
daquele que a gente jura ter na alegria e na tristeza,sabe?
mas parece que hoje em dia isso tudo se perde por aí,de acordo com a conta bancária,
bem triste...

beijinhos

✿ chica postou o comentário número:

A coisa anda assim mesmo! E pena o $$ afastar casais. É que ninguém mais quer passar trabalho.A coisa tá diferente.Hoje, a maioria quer moleza... bjs, chica

Orvalho do Céu postou o comentário número:

Olá, querida Guidinha
Eu não tenho o o problema referido... rs...
Me parece que somos privilegiadas de sermos viúvas.. pois as que têm marido sempre reclamam de alguma coisa neste e noutros sentidos... é uma lamúria só, como vc disse...
O dinheiro é necessário mas o amor supera toso os desafios...
Bjm fraterno

JAN postou o comentário número:

Olá Renata!
Dizem que "quando a pobreza entra pela porta, o amor sai pela janela." rsrsrsrs

Agora, sério: sou divorciada, mas o nosso problema não falta de dinheiro...
Mas procuramos mesmo, o "aval" de alguém (no meu caso, uma profissional psicóloga) pois a decisão é bastante drástica.

Que Deus te ajude! rsrsrs

Abração
Jan

Elaine Canha postou o comentário número:

kkkkk, muito boa sua resposta.
Cada um dos cônjuges tem reclamações a fazer do outro. Com conversa e até umas discussões conseguimos chegar no acordo. Infelizmente falta paciência e sabedoria a muitos casais de hoje em dia.
Bjs

Jô Turquezza postou o comentário número:

Oh céus! Por que as pessoas ficam duzentos anos juntas e resolvem assim de repente que querem ser "bancadas"?
Aff! Vai entender rsrsrsr
Bom fim de semana e que mais ninguém venha ao seu consultório rsrsrsrs
Beijos.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...